Transporte aeromédico: Tire suas dúvidas sobre UTI Aérea

O transporte aeromédico ou UTI Aérea, consiste no transporte de pacientes em aeronaves executivas.

O transporte aeromédico, também conhecido como UTI aérea, consiste no transporte de pacientes em aeronaves executivas, configuradas para missões de remoção aérea na transferência de uma instituição médica para outra.

Trata-se de uma operação extremamente complexa, que envolve uma rede de diversos profissionais, altamente especializados nesse tipo de missão. E como estamos falando de um serviço normalmente utilizado em momentos críticos, existem muitas dúvidas sobre como esses voos são realizados, como contratá-los, entre outras questões.

Elaboramos abaixo uma lista de perguntas frequentes, que foram respondidas por nossa equipe de transporte aeromédico. Confira:

 

– Como saber qual a aeronave é ideal para o paciente?

Em remoções aeromédicas, há uma série de fatores que devem ser considerados na hora de escolher a aeronave, como o quadro clínico do paciente, a infraestrutura dos locais de origem e destino, entre outros. Não existe uma aeronave perfeita para todas as remoções aeromédicas. Portanto, é muito importante procurar uma empresa que tenha grande expertise em aviação executiva e que conte com uma equipe especializada para avaliar e organizar todos os detalhes da missão. Transportes aeromédicos são operações extremamente complexas e exigem uma rigorosa avaliação prévia. Por isso, desconfie de empresas que oferecem soluções “mágicas”, que atendam a qualquer caso.

 

O que o cliente precisa saber antes de escolher uma empresa?

A primeira recomendação é consultar, no site da ANAC, se a empresa é homologada para realizar transporte aeromédico. Para isso, basta consultar a lista que o órgão disponibiliza em sua página (clique aqui para consultar a relação). Infelizmente, existem operadores que oferecem esse serviço de forma ilegal e sem a devida capacidade, trazendo um grande risco para o paciente.

Outro cuidado fundamental é entender o escopo do serviço oferecido. O ideal é contratar uma empresa que cuide não só de todos os trâmites que antecedem o voo, mas de toda a logística de transporte, tanto aéreo como terrestre, procedimento conhecido como “bed-to-bed”. Isso garante que o prestador de serviço terá todas as informações sobre aquela missão e será responsável por cuidar de todas as etapas. Isso evita que falhas de comunicação ou diferenças de procedimento possam agravar ou mesmo comprometer o quadro clínico do paciente.

Também é importante buscar uma empresa que tenha uma frota versátil. Como citado anteriormente, não existe uma aeronave perfeita para todas as remoções, e só uma companhia com diversos modelos de aviões e helicópteros poderá avaliar e escolher a melhor opção para cada caso.

Por fim, recomenda-se contratar uma empresa que tenha operação em diversas localidades. Isso facilita e padroniza os serviços de atendimento aeroportuário da aeronave, isto é, de toda a logística em solo. Dessa forma, o paciente terá a garantia de que o voo será atendido com a mesma excelência e agilidade nas escalas que forem necessárias. A Líder, por exemplo, conta com mais de 20 bases, em todas as regiões do país. Com isso, pode oferecer atendimento a qualquer tipo de missão aeromédica, 24h por dia.

 

 – Como levar o paciente do hospital à aeronave?

Como mencionado anteriormente, o ideal é sempre buscar empresas que oferecem serviço “bed-to-bed”, ou seja, que cuidam de toda a logística terrestre e aérea, transportando o paciente de um hospital ao outro. Nesse caso, cabe à empresa responsável pelo voo realizar, juntamente com uma equipe médica especializada, a triagem e análise necessárias para que a missão seja um sucesso, do início ao fim.

 

– Quais os profissionais presentes em um transporte aeromédico?

Além da equipe de suporte, formada por profissionais das áreas comercial e operacional, um voo aeromédico deve ter a bordo médicos e / ou enfermeiros com formação específica para esse tipo de missão, bem como experiência em atendimentos de urgência.

 

– Quais os equipamentos e medicamentos estão presentes na aeronave?

A aeronave possui todos os equipamentos básicos necessários para intervenções imediatas, como cardioversor e monitor cardíaco, respirador, bombas de infusão e aspirador. A bordo da aeronave também estão disponíveis todas as medicações encontradas em UTIs.

 

– Quantos acompanhantes podem ter em um transporte aeromédico?

O número de acompanhantes varia de acordo com a aeronave escolhida para a missão. Na frota da Líder Aviação, por exemplo, temos, entre outras aeronaves, um turboélice King Air C90, em que há espaço para um acompanhante, e um jato Learjet 35, no qual podem viajar dois acompanhantes. 

 

– O transporte aeromédico é seguro?

Remoções aeromédicas salvam milhares de vida em todo o mundo e, muitas vezes, são a única opção para se resgatar um paciente. Recentemente, um estudo internacional publicado no site de notícias AIN Online afirmou que a segurança dessas operações aumentou 32%, entre 1998 e 2016. Esses indicadores mostram que as empresas de táxi aéreo estão cada vez mais comprometidas com um voo seguro. Mas é importante lembrar que é fundamental escolher uma empresa devidamente homologada pela ANAC, com equipe especializada e grande expertise nesse tipo de missão.

A Líder aviação, por exemplo, tem mais de 20 anos de experiência e mais de 7.500 remoções realizadas, no Brasil e no exterior. Além disso, contamos com uma vasta rede de parceiros do setor médico, o que nos permite ter mais agilidade na organização de todos os processos formais referentes à organização e liberação do voo.

Se você deseja saber mais sobre transporte aeromédico, confira aqui no nosso blog uma matéria onde listamos três fatores determinantes para o sucesso de um transporte aeromédico.

Saiba mais sobre a UTI aérea clicando aqui.

Confira na Líder Aviação os melhores serviços de aviação executiva. Siga-nos no Twitter e Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *